DigiSystem
out 02, 2020

Como a Saúde 5.0 traz maior conectividade ao paciente?

Este artigo é de autoria da empresa Digisystem, compartilhado aqui como uma contribuição por fazer parte de um programa de patrocínio vinculado ao evento Connect Day 2020.

O mundo está em constante evolução, especialmente por conta do avanço da tecnologia nos últimos anos. Para acompanhar essa mudança, o setor da saúde tem se reinventado levando em consideração todo suporte e cuidado que deve ser oferecido ao seu principal foco, o paciente. Tecnologias como Internet das Coisas (IoT), smartwatch, teleconsulta, telemedicina e Inteligência Artificial são alguns dos principais recursos incorporados no mais novo conceito de saúde dessa era: a Saúde 5.0.

 

Na Saúde 5.0 amplia-se o conceito de integração para conectividade, ou seja, agora não há apenas sistemas integrados com a disponibilidade de informações para a tomada de decisão (conceito de Saúde 4.0), mas sim a conectividade de diferentes sistemas e dispositivos que permitem monitorar e orientar pacientes, médicos e enfermeiros. Por meio dos recursos disponíveis na Saúde 5.0, é possível proporcionar maior autonomia e qualidade de vida aos pacientes que já estão ou precisarão de algum tipo de tratamento médico.

 

Entendendo Saúde 5.0 por meio da Saúde 4.0

 

É certo que à medida que tecnologia foi avançando, ela teve papel fundamental também no avanço da medicina, trazendo agilidade aos profissionais da saúde e uma melhor experiência ao paciente. E é esse o principal objetivo da Saúde 4.0, empregar investimentos em tecnologia no setor da saúde, com foco na prevenção de enfermidades e preservação do bem-estar físico e mental dos pacientes. Ou seja, o conceito de Saúde 4.0 está relacionado à integração de recursos tecnológicos com a prática da medicina, envolvendo mecanismos automatizados.

 

Graças às mudanças trazidas pelo conceito da Saúde 4.0 diversas ferramentas tecnológicas foram incorporadas ao dia a dia nos sistemas de saúde e ainda hoje beneficiam profissionais da área e, principalmente, os pacientes. O uso de sistemas de gestão em nuvem, por exemplo, proporciona uma agilidade no atendimento já que todos os prontuários eletrônicos de determinada instituição ficam registrados em um sistema que pode ser acessado de qualquer local com acesso à internet. Desta forma, é possível verificar o histórico de saúde do paciente com mais rapidez e definir seu diagnóstico de forma certeira.

 

Além do software em nuvem, a Saúde 4.0 trouxe também para dentro dos hospitais a Internet das Coisas (IoT), que tem como objetivo integrar o mundo real ao digital. Por meio da incorporação de objetos do cotidiano à computação e internet, como relógios que conseguem medir os batimentos cardíacos, por exemplo, torna-se possível auxiliar os médicos e enfermeiros no atendimento. Outro exemplo de modernização ocasionada pela Saúde 4.0 é o Big Data, o qual captura, analisa e interpreta um grande volume de dados vindos de diferentes fontes, para assim, identificar as características semelhantes dentro de um mesmo grupo, o que viabiliza antever as complicações e monitorar a eficácia de tratamentos.

 

A diferença para a Saúde 5.0

 

A Saúde 5.0 não veio para desbancar a Saúde 4.0, muito pelo contrário, uma dá continuidade à outra. Todas as tecnologias integradas à saúde por meio da era da Saúde 4.0 são agora de extrema importância para o propósito da Saúde 5.0, que é proporcionar a conectividade do paciente ao seu tratamento, à sua consulta e ao seu médico. A Saúde 5.0 ou a Saúde Conectada 5.0 veio para evidenciar o paciente como o centro do sistema, como protagonista, permitindo que ele seja muito mais autônomo e contestador, tendo sob poder seu próprio prontuário eletrônico.

 

Uma das grandes diferenças é que agora, com o domínio nas mãos do paciente, há uma quebra no modelo do sistema “fee for service” (taxa por serviço), categoria do setor da saúde em que se paga por serviço solicitado. Esse modelo é muito questionado, já que os interesses financeiros podem influenciar no tratamento de saúde que é indicado, sendo este, muitas vezes, não necessário ou equivocado. A vantagem da Saúde 5.0 é que essa conectividade por ela proporcionada assegura que as informações sobre seu diagnóstico sejam compartilhadas com todas as partes necessárias da jornada do paciente para que seja tomada a melhor decisão e definido o tratamento mais eficaz, sem interesses secundários.

 

A segurança das informações

 

É claro que quando existe conectividade com uma grande quantidade de compartilhamento de informações, há também uma preocupação sobre a segurança desses dados. A área da saúde é uma das maiores geradoras de informações sensíveis e confidenciais. Portanto, o cuidado no manuseio e disponibilização da informação é mandatório. Neste sentido todas as instituições devem estar preparadas e organizadas para gerenciar não apenas o volume destas informações, mas também a granularidade delas.

 

É neste momento que entra a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados, que deve ser minuciosamente analisada e cumprida pelas instituições de saúde no recolhimento dos dados, deixando claras as regras de compartilhamento, bem como seu propósito bastante intuitivo, a fim de assegurar a privacidade e a segurança das informações. É preciso ter clareza de que todos esses dados pessoais circularão em um ambiente seguro com criptografia, e apenas para fins médicos.

 

Os benefícios da Saúde 5.0

 

Os benefícios trazidos pela Saúde 5.0 aparecem em todos os elos da cadeia de valor. Segurança, qualidade e agilidade sempre serão os principais pilares na relação médico, paciente, prestador e operador de saúde. Em um caso prático, por exemplo, o médico ao atender um paciente em uma ferramenta de telemedicina, coleta alguns indicadores como glicemia, peso e pressão arterial para fazer a evolução do paciente, que somados a outras evidências direcionará para um possível diagnóstico e tratamento. Em seguida, o paciente receberá uma receita digital que poderá ser enviada a uma farmácia, que providenciará a entrega do medicamento sem necessidade de deslocamento do cliente. Tudo isso é proporcionado pela conectividade no dia a dia do paciente.

 

A Digisystem, focada na missão de apoiar seus clientes na era da Saúde 5.0, desenvolveu um conjunto de soluções para facilitar a interoperabilidade e conectividade de diferentes sistemas e plataformas tecnológicas, oferecendo também complementos funcionais para os produtos já existentes no mercado. Quer saber mais? Clique aqui e saiba como a Digisystem pode ser o seu melhor parceiro na jornada da transformação digital!

Acompanhe as novidades na página do Tasy