Centro de Notícias

Os indivíduos estão sendo protagonistas de sua própria saúde na América Latina  

Tempo de leitura: 5 minutos

Os indivíduos estão sendo protagonistas de sua própria saúde na América Latina

Melhorar a qualidade e o acesso, reduzindo os custos, são os principais objetivos de praticamente todas as iniciativas relacionadas ao atendimento médico ideal. Aumentar a conscientização de como os consumidores comprometidos influenciam os resultados e despesas dos cuidados médicos está impulsionando novas iniciativas destinadas a melhorar a experiência e o comprometimento do paciente. Como líder de Cuidados Pessoais da Philips para América Latina, acredito firmemente que projetar e investir em programas de prevenção é fundamental para reduzir a pressão sobre nossos sistemas de saúde que estão à beira do colapso.

 

Transformar pacientes passivos em consumidores ativos dentro dos sistemas de saúde parece ser a força propulsora do mercado de consumo de saúde digital, que está gradualmente se tornando uma força a ser levada em conta. O mercado de saúde foi avaliado em US $ 21,5 bilhões em 2017, e é esperado que o IoT (Internet das Coisas) nos cuidados da saúde atinja US $ 117 bilhões até 2020.

 

De acordo com pesquisas recentes, o Brasil encabeça a lista de países latino-americanos em termos de tecnologia de saúde e prestação de serviços na área. Um relatório da Global Health Intelligence prevê que o mercado brasileiro de saúde digital crescerá até 28% entre 2015 e 2024.

 

Estas estatísticas mostram que a participação dos consumidores nos cuidados de saúde ganhou força nos últimos anos, à medida que os consumidores se apropriam cada vez mais dos seus resultados de saúde e monitoram sua saúde pessoal através de uma combinação de dispositivos de hardware, software e serviços. Os especialistas preveem um crescimento dinâmico no setor à medida que mais e mais consumidores procuram canais/soluções de saúde móveis e digitais (por exemplo, aplicativos de celulares). Esse quadro proporciona uma enorme oportunidade de colaborção com diferentes agentes na América Latina para ajudar a reduzir o impacto de doenças crônicas ou relacionadas ao estilo de vida (como obesidade e colesterol alto), não apenas com informações, mas com ações concretas no sentido de viabilizar vidas mais saudáveis. É desse hábito de automonitoramento do paciente ativo que entra, cada vez mais, o conceito de prevenção e atenção à saúde.

 

Na Philips, estamos constantemente à procura de novas maneiras de tornar a vida de nossos consumidores melhor e mais saudável, com soluções conectadas e focadas em rotinas de saúde e atendimento domiciliar. Com isso em mente, temos trabalhado no desenvolvimento de algumas iniciativas na América Latina: salas de amamentação e aplicativos, como a Gravidez+ para promover o aleitamento materno; cozinha saudável e aplicativos de saúde bucal; palestras educativas e assistenciais, entre outras. Tentamos levar nosso profundo conhecimento clínico às mãos de nossos consumidores, incentivando-os a viver uma vida mais saudável.

 

Com a Philips Foundation, estamos com um projeto muito interessante na Nicarágua chamado “Estação Vital”. Essa iniciativa é uma plataforma de saúde que capacita os usuários oferecendo ferramentas e serviços tecnológicos para melhorar o bem-estar de populações carentes, por meio de quiosques digitais para avaliação digital preventiva. Recentemente, eu os visitei e fiquei muito surpresa com o trabalho realizado. O projeto fornece medições de pressão arterial e temperatura, controle de peso, exames de vista e exames de glicose, colesterol e triglicerídeos para que as pessoas possam saber mais sobre suas próprias condições de saúde e tomar providências se algo não estiver correto.

 

“Estação Vital”, um projeto inspirador e que pode ser facilmente replicado em diversos países, exerce um forte impacto sobre a forma como as pessoas gerenciam sua própria saúde por meio do conhecimento e do entendimento dos indicadores de saúde. Os benefícios por trás desta iniciativa incluem: melhor monitoramento e melhoria da saúde da população, tomadas de decisões mais rápidas e fundamentadas e participação efetiva no sistema de saúde.

 

Globalmente, a tendência de engajamento do consumidor ocorre em três níveis distintos: aproveitamento da tecnologia digital, exploração dos recursos on-line e parcerias com provedores. Os consumidores que têm um papel mais ativo em relação aos cuidados médicos que recebem, demonstram melhores resultados: aderindo aos planos de tratamento recomendados, associando-se ativamente com os médicos para compartilhar e revisar suas informações de saúde e tomar decisões de tratamento. Além disso, esses consumidores ativos estão buscando opções de tratamento, aprendendo sobre problemas de saúde e monitorando constantemente sua saúde. Essas ações potencialmente levam a um menor gasto geral, melhores resultados de saúde e experiências de atendimento mais satisfatórias, eficientes e assertivas.

 

O crescente consumo dos cuidados de saúde na América Latina e o aumento da participação do consumidor causaram uma mudança de paradigma na forma como as populações de pacientes vêem a prestação de serviços de saúde. Como resultado, os consumidores estão cada vez mais exigindo melhor acesso às suas informações pessoais de saúde por meio do canal de sua preferência.

 

A cada ano, os smartphones estão se tornando a ferramenta mais poderosa para os consumidores que desejam acessar suas informações de saúde. No entanto, isso só será possível com o desenvolvimento de soluções baseadas em nuvem e capazes de armazenar dados de saúde, que vão desde registros médicos completos até níveis de pressão arterial e açúcar, juntamente com comportamentos relacionados ao estilo de vida (como cumprimento do tratamento, diagnóstico precoce e dietas alimentares).


A era em que os profissionais e prestadores de cuidados de saúde ditavam a intensidade do tratamento recebido pelos pacientes está diminuindo lentamente. Hoje, os clientes olham para os provedores como parceiros durante sua jornada para uma vida mais saudável. Embora precisem de treinamento e orientação para navegar neste mundo novo e complexo, o acesso à informações pessoais de saúde por meio da tecnologia digital os ajudará a permanecer no controle. Por isso, esse novo cenário requer colaboração. Esta é uma ótima oportunidade para desenvolver programas de prevenção e bem-estar, com a participação de toda a sociedade com o objetivo de melhorar a vida das pessoas.

Sobre a Royal Philips

Royal Philips é uma empresa líder em tecnologia da saúde, focada em melhorar a qualidade de vida das pessoas e em permitir melhores resultados por meio do ciclo completo da saúde, que envolve desde vida saudável e prevenção, até diagnóstico, tratamento e cuidados domiciliares. A Philips se utiliza de tecnologia avançada e de profundos conhecimentos clínicos, assim como das perspectivas dos consumidores, para oferecer soluções integradas. A empresa, com sede na Holanda, é líder em diagnóstico por imagem, terapia guiada por imagem, monitoração de pacientes, informática voltada à saúde, saúde do consumidor e cuidados domésticos. Em 2018, o segmento de tecnologia de saúde da Philips alcançou 18,1 bilhões de euros em vendas e emprega cerca de 77 mil colaboradores de vendas e serviços em mais de 100 países. Para obter mais informações sobre a Philips, acesse: www.philips.com/newscenter

Leia maisLeia menos

Compartilhar nas redes sociais

Temas

Contatos

Ileana Carrasco

Ileana Carrasco

Relações com Imprensa Philips do Brasil (agência externa)

Tel.: 50766772372