Três maneiras pelas quais a transformação digital está acelerando a migração para cuidados preventivos

mar 21, 2022 - Tempo de leitura previsto: 3-5 minutos

Em meio a uma pandemia global, os sistemas de saúde estão sofrendo mais pressão do que nunca. As listas de espera dos hospitais nunca foram tão longas, com seis milhões de pacientes aguardando tratamento no Reino Unido [1], filas de 75 pessoas esperando um leito hospitalar na Índia [2] e atrasos semelhantes em todo o mundo. Como os sistemas de saúde atuais poderiam aliviar toda essa pressão, em ampla escala, de uma vez por todas? Uma migração para cuidados preventivos poderia ser a resposta?

Preventive Care

De acordo com um estudo recente do Fórum Econômico Mundial [3], o impacto econômico global das cinco principais doenças crônicas — que incluem câncer, diabetes, doenças mentais, doenças cardíacas e respiratórias — pode chegar a US$ 47 trilhões nos próximos 20 anos. Ao mesmo tempo, a Organização Mundial da Saúde prevê que o déficit global de profissionais de saúde qualificados chegará a 18 milhões até 2030 [4].

 

Claramente, mesmo sem o caos adicional que uma pandemia mundial traz, o fardo das doenças crônicas — que também gera consequências para o bem-estar social e psicológico dos pacientes, bem como para o bem-estar físico — em breve será demais para nossos sistemas de saúde.

Por essa razão, muitas organizações de saúde hoje estão abandonando o modelo de intervenção e migrando para um de prevenção: um modelo em que os recursos são dedicados a detectar e prevenir problemas médicos antes que eles tenham a chance de provocar sintomas, evoluir para doenças crônicas ou desencadear a eventos que ameaçam a vida. Para muitas partes do ecossistema de saúde, de profissionais de saúde a gigantes de tecnologia e órgãos governamentais, a esperança é que um modelo de atendimento preventivo seja a solução para aliviar a carga de doenças crônicas em nossos sistemas de saúde e, basicamente, prestar um atendimento de alto valor que tenha como foco proporcionar resultados mais saudáveis.

Atendimento preventivo: três exemplos do mundo real

 

O conceito de atendimento preventivo não é novo — check-ups e vacinações anuais são dois exemplos de como o atendimento preventivo já vem sendo abraçado há décadas. Mas, nos últimos anos, a transformação digital da saúde levou a inovações inovadoras que estão acelerando rapidamente a mudança para o atendimento preventivo em grande escala. Seguem três exemplos excelentes:

1. Análise preditiva

Preventive Care
Impulsionadas pela ascensão da Inteligência Artificial (IA) e da Internet das Coisas (IoT), muitas organizações de saúde agora têm algoritmos à sua disposição que podem ser alimentados com dados antigos e em tempo real de seus pacientes, para que possam fazer previsões significativas e em tempo hábil sobre possíveis resultados e opções de tratamento. Em muitos casos, esses insights podem servir para a tomada de decisões fundamentadas tanto com relação uma coorte quanto em âmbito populacional.
 
Em cardiologia, por exemplo, plataformas de diagnóstico integradas aprimoradas com análise preditiva agora estão dando às equipes de atendimento de cardiologia o poder de prever resultados com maior precisão, tomar decisões clínicas mais rápidas e — graças a esses insights — atribuir caminhos de tratamento mais eficazes a seus pacientes, reduzindo o risco de eventos inesperados e intervenções no futuro.

2. Monitoramento remoto dos pacientes

Preventive Care

O monitoramento remoto de pacientes refere-se a um amplo conjunto de soluções que permitem que as equipes de atendimento avaliem e até tratem pacientes fora dos ambientes clínicos convencionais, para um gerenciamento mais controlado de condições crônicas, maior supervisão dos pacientes entre as consultas e menos reinternações hospitalares.

 

Por exemplo, soluções de monitoramento cardíaco remoto, como dispositivos vestíveis e implantáveis, podem fornecer às equipes de atendimento supervisão 24 horas por dia de seus pacientes de qualquer local, coletando dados sobre sinais vitais em tempo real e sinalizando quaisquer sinais de problemas cardíacos iminentes na primeira oportunidade. Soluções como essas significam que indivíduos com comorbidades complexas podem finalmente emergir de eventos ou procedimentos cardíacos e viver de forma independente, confiantes no conhecimento de que seus preciosos dados de saúde estão sendo comunicados de forma contínua e segura às suas equipes de atendimento.

3. Envolvimento digital do paciente

Preventive Care

Os métodos digitais de interação com o paciente, como aplicações de monitoramento de saúde e portais de pacientes, permitem que as pessoas assumam um papel mais ativo no gerenciamento de sua saúde e bem-estar. Também ajudam os pacientes a maximizar a conformidade com o tratamento para as condições existentes, e iniciar diálogos com suas equipes de atendimento, para uma rápida notificação de sintomas e maior acesso a informações e conselhos.

 

Por exemplo, as aplicações de orientação médica pré-cirurgia ajudam os pacientes a obter uma condição ideal antes de serem submetidos a cirurgias eletivas, para que possam maximizar a chance de internações mais curtas e minimizar a chance de readmissão. Plataformas colaborativas entre médico e paciente estão ajudando os hospitais a reduzir a necessidade de consultas presenciais — em até três por paciente por ano. E na saúde bucal, escovas de dentes elétricas combinadas com aplicações de orientação médica estão ajudando adultos e crianças a monitorar seus hábitos de escovação, aprender mais sobre a relação entre saúde bucal e sistêmica e se manter engajados no desenvolvimento de hábitos saudáveis para a vida.

Como podemos manter o ritmo para atendimento preventivo?

Com cerca de um em cada três adultos recebendo tratamento para condições crônicas complexas em todo o mundo [5], muitas das quais foram identificadas como condições evitáveis relacionadas ao estilo de vida, a necessidade de um modelo de atendimento mais preventivo é muito aparente. A pandemia estimulou grande parte da transformação digital que está facilitando a mudança para os cuidados preventivos hoje — mas esses avanços estão muito atrasados.

 

Para tornar os cuidados preventivos um sucesso em todos os mercados e aliviar a carga de doenças crônicas sentidas em todo o setor há anos, precisamos ir além: derrubar as barreiras entre departamentos e especialistas, eliminar os obstáculos que separam pacientes de cuidadores e fazer a ponte entre os estabelecimentos de saúde e as casas das pessoas.

You are about to visit a Philips global content page

You are about to visit the Philips USA website.

Para visualizar melhor o nosso site, utilize a versão mais recente do Microsoft Edge, do Google Chrome ou do Firefox.