Centro de Notícias | Brasil

Como a inovação digital pode levar os cuidados da saúde para regiões remotas

abr 02, 2021 - Tempo estimado de leitura: 7-9 minutos

O acesso a serviços de saúde em tempo hábil e especializados pode ser um desafio para os pacientes que vivem em comunidades remotas ou rurais. Mas graças às tecnologias inovadoras e às redes de cuidados locais, os pacientes em países em desenvolvimento e em países desenvolvidos podem obter os cuidados de saúde que precisam mais perto de casa.

Philips remote member monitoring solution interactive tablet

Levando cuidados maternos para comunidades remotas na África

Em comunidades remotas africanas, muitas vezes há uma grande escassez de especialistas em ultrassom treinados. Mulheres grávidas que vivem nas vastas áreas rurais do Quênia, por exemplo, podem ter que viajar muitas horas até o hospital mais próximo. Isso dificulta a adesão dessas mulheres à recomendação da Organização Mundial da Saúde de que toda gestante deve se submeter a pelo menos um ultrassom, preferencialmente nas primeiras 24 semanas de gravidez, para estimar com precisão a idade gestacional, detectar anomalias fetais e melhorar a experiência geral da mulher durante a gravidez da mulher.

É por isso que a Philips Foundation, juntamente com parceiros clínicos locais e o Ministério da Saúde, está trabalhando para levar ultrassom portátil às mãos de parteiras treinadas em centros de atenção primária e para conectar essas parteiras a especialistas em hospitais urbanos. Por meio de uma combinação de treinamento presencial, educação remota e colaboração em vídeo em tempo real, as parteiras podem construir as habilidades e a confiança necessárias para realizar triagens obstétricas básicas de rotina. Elas podem identificar mulheres com alto risco para encaminhamento e tratamento em tempo hábil, além de proporcionar a essas gestantes uma probabilidade muito melhor de trazer uma criança saudável ao mundo.
Amref
Parteiras em clínicas de saúde rurais no Quênia agora podem realizar exames básicos de ultrassom em mulheres grávidas e compartilhar dados remotamente para colaboração virtual  (Fotos: Amref Health Africa)
As parteiras também podem construir perfis de saúde de gestantes em um simples aplicativo móvel, coletando dados de exames físicos em unidades básicas de saúde ou até mesmo na casa da futura mãe. Esses dados geram uma pontuação de risco que pode ajudar os cuidadores a identificar quem pode precisar de cuidados extras. Para mães grávidas, um aplicativo educacional oferece dicas relacionadas à gravidez e permite que acompanhem sintomas de gravidez, contagem de chutes e uso de medicamentos. As mães podem então compartilhar esses dados com os cuidadores.

Com o suporte remoto certo, parteiras treinadas em unidades de atenção primária podem desempenhar um papel fundamental na detecção precoce, diagnóstico, acompanhamento da gravidez e de complicações a ela relacionadas. Os dados das pacientes podem ser compartilhados digitalmente entre os locais, permitindo consulta virtual, assistência de diagnóstico remoto e monitoramento. No geral, isso ajuda a criar um ecossistema de cuidados maternos mais conectado, no qual as mães grávidas em locais remotos têm melhor acesso aos cuidados de que precisam.
Connected ecosystem maternal care
Um ecossistema de cuidados maternos digitais permite que médicos, parteiras e profissionais de saúde comunitários compartilhem dados de pacientes, incluindo exames laboratoriais e dados de ultrassom.

Oferta de acesso mais fácil aos cuidados de saúde em áreas rurais dos EUA

Em algumas áreas rurais dos Estados Unidos, os pacientes precisam viajar horas para acessar o atendimento, especialmente quando precisam de serviços especializados de diagnóstico e tratamento para doenças complexas. A tecnologia inovadora de telemedicina pode aliviar essa carga para os pacientes rurais. Dispositivos e sensores remotos de monitoramento de pacientes, por exemplo, são opções convenientes para os médicos monitorarem os sinais vitais dos pacientes e gerenciarem as condições crônicas dentro de casa.

Alguns pacientes, no entanto, não possuem os dispositivos digitais necessários, Internet confiável ou a privacidade necessária para conversas clínicas sensíveis em casa. Uma opção que oferece aos pacientes uma escolha comunitária para atendimento remoto é a Estação de Cuidados Virtuais. Esse ambiente de telessaúde foi desenvolvido pela Philips para fornecer cuidados virtuais presenciais em locais convenientes do bairro, como redes de varejo, bibliotecas, universidades e organizações de serviços a veteranos.

As Estações de Cuidados Virtuais são conectadas a centros médicos regionais e equipadas com equipe especializada e tecnologia. Cada Estação de Cuidados Virtuais possui espaço suficiente para acomodar um paciente em uma cadeira de rodas ou com um acompanhante de atendimento ou animal de serviço.
Virtual care station waiting room
As Estações de Cuidados Virtuais são projetadas para oferecer uma experiência de telemedicina aprimorada em um local conveniente.
A Estação de Cuidados Virtuais é baseada em tecnologia desenvolvida para o programa de telessaúde do Departamento dos Assuntos de Veteranos dos Estados Unidos (VA). O VA fornece serviços de saúde para quase 9 milhões de veteranos, muitos dos quais vivem em locais remotos e lidam com uma ou mais condições crônicas significativas, como diabetes, doenças cardíacas e depressão. O VA oferece diversas soluções de acesso remoto, incluindo cuidados virtuais em casa, acesso a vídeo em tempo real a especialistas de clínicos comunitárias e seu programa de Tele-UTI que leva prestadores especializados para a sala da unidade de terapia intensiva local.

Essas inovações de telemedicina oferecem aos provedores um novo acesso aos pacientes, permitindo que os médicos diagnostiquem virtualmente e gerenciem o atendimento ao paciente. A maior vitória é melhorar a experiência de cuidados dos veteranos, permitindo que os pacientes evitem internações desnecessárias e viagens longas para ver os prestadores de saúde e que permaneçam independentes em casa.

Levando terapia guiada por imagens para comunidades rurais na China

As diferenças geográficas que tornam o acesso à saúde um desafio em partes rurais dos EUA e do Quênia também existem na China. Como outros países, as instituições médicas da China e os prestadores de cuidados de saúde altamente qualificados têm se concentrado historicamente nas cidades. Esses hospitais metropolitanos são tipicamente equipados com sistemas e dispositivos médicos de última geração, ao contrário das áreas rurais onde funcionários e equipamentos especializados são geralmente escassos.

Para pacientes em áreas remotas que sofrem ataque cardíaco repentino ou AVC, o acesso ao tratamento pode significar horas de viagem para chegar ao hospital mais próximo da cidade grande, onde os médicos podem realizar procedimentos guiados por imagem e minimamente invasivos. Essa barreira de acesso pode diminuir de forma muito significativa as chances de cuidados em tempo hábil e de sobrevivência.
Cardio - Ambulance arrives
Os centros de tratamento locais aproximam os cuidados que salvam vidas dos pacientes rurais.
Felizmente, estão sendo feitos progressos na China para diminuir a distância entre os serviços de saúde urbanos e rurais. Por exemplo, a Philips colabora com hospitais de nível municipal para criar centros de tratamento locais para pacientes com dor no peito ou AVC. Esses centros adotam uma abordagem integrada que abrange todo o caminho do cuidado: desde o diagnóstico precoce da condição do paciente na ambulância e novos exames diagnósticos no hospital, até procedimentos minimamente invasivos no laboratório de cateterismo e acompanhamento do paciente na UTI.
Stroke center
O Centro de AVC em operação: centro integrado do paciente desde o diagnóstico até o tratamento minimamente invasivo e pós-atendimento.
Apoiada pela troca de dados perfeita entre as configurações, essa abordagem conectada ajuda a levar os pacientes a um tratamento adequado e eficaz o mais rápido possível, seguido pelo pós-atendimento correto. Os centros aproximam os cuidados de saúde que salvam vidas dos pacientes rurais e os ajudam a se recuperarem mais rapidamente e a ter melhores experiências de tratamento.

Compromisso compartilhado para melhorar o acesso à saúde

Esses são apenas três exemplos que ilustram como os provedores de saúde podem aproveitar a tecnologia digital e instalações locais baseadas em rede para aumentar o acesso a cuidados de saúde para pessoas que vivem em áreas rurais em todo o mundo. Novas inovações estão sendo desenvolvidas todos os dias, e a Philips continua sendo a pioneira em tecnologias digitais de saúde, fazendo parcerias com provedores locais para melhorar o acesso a cuidados de saúde de qualidade, onde quer que as pessoas morem.